C# - Dicas & Truques - Matemática e Estatística

Mais Dicas e Truques de Programação

Java ::: Dicas & Truques ::: Arquivos e Diretórios

Como usar o método createTempFile() da classe File da linguagem Java para criar um arquivo temporário, escrever nele e excluí-lo ao fechar o programa - Revisado

Quantidade de visualizações: 13778 vezes
Nesta dica mostrarei como é possível usar o método createTempFile() da classe File, do pacote java.io, para criar um arquivo temporário em Java. No exemplo vamos criar o arquivo, vamos escrever nele e depois excluí-lo ao fecharmos o programa.

Veja o código completo:

package arquivodecodigos;

import java.io.*;
 
public class Estudos{
  public static void main(String[] args){
    // local de criação do arquivo
    String local = "C:\\estudos_java";
      
    // vamos tentar criar o arquivo então
    try{
      File arquivo = File.createTempFile("teste", ".txt", new File(local));
     
      // vamos excluir o arquivo ao fechar a aplicação
      arquivo.deleteOnExit();
         
      // escreve no arquivo temporário
      BufferedWriter out = new BufferedWriter(new FileWriter(arquivo));
      out.write("Arquivo de Códigos");
      out.close();
         
      // trecho de código para fazer com o programa espere
      // uma tecla antes de fechar
      // Este procedimento é para que vc veja que o arquivo
      // temporario realmente foi criado no diretório indicado
      InputStreamReader ent = new InputStreamReader(System.in);
      BufferedReader cons = new BufferedReader(ent);
      System.out.println("Verifique se o arquivo foi criado com sucesso.");
      System.out.print("Digite alguma coisa e pressione Enter para sair: ");
      String tecla = cons.readLine();
    }
    catch(IOException e){
      System.out.println("Houve um erro: " + e.getMessage()); 
    }
  }
}

Ao executarmos este código nós teremos o seguinte resultado:

Verifique se o arquivo foi criado com sucesso.
Digite alguma coisa e pressione Enter para sair: b

Antes de digitar alguma coisa e pressionar Enter, olhe no diretório "C:\\estudos_java" (o seu vai ser diferente, é claro) e você verá um arquivo com um nome parecido com:

teste2606085315507863387.txt

Quando você pressionar Enter, o programa terminará e o arquivo será excluído automaticamente.

Esta dica foi revisada e testada no Java 8.


Java ::: Dicas & Truques ::: Imagens

Manipulação de imagens em Java - Como carregar uma imagem e exibí-la em uma JFrame do Java Swing

Quantidade de visualizações: 16829 vezes
Nesta dica mostrarei como é possível combinar as classes Toolkit e MediaTracker para carregar uma imagem JPG e exibi-la na superfície da uma janela JFrame do Java Swing. Este exemplo é muito útil, pois abre o horizonte para uma infinidade de aplicações interessantes, deste visualizadores de imagens e fotos até jogos em Java.

Veja o código completo para o exemplo:

import java.awt.*;
import javax.swing.*;
 
public class Estudos extends JFrame{
  private Image imagem;  
 
  public Estudos() {
    super("Carregando imagens em uma JFrame");
     
    // imagem a ser exibida
    String minhaImagem = "foto1.jpg";
 
    Toolkit toolkit = Toolkit.getDefaultToolkit();
    imagem = toolkit.getImage(minhaImagem);
    MediaTracker mediaTracker = new MediaTracker(this);
    mediaTracker.addImage(imagem, 0);
     
    try{
      mediaTracker.waitForID(0);
    }
    catch(InterruptedException ie){
      System.err.println(ie);
      System.exit(1);
    }
 
    setSize(imagem.getWidth(null), imagem.getHeight(null));
 
    setVisible(true);
  }
   
  public static void main(String args[]){
    Estudos app = new Estudos();
    app.setDefaultCloseOperation(JFrame.EXIT_ON_CLOSE);
  }
 
  public void paint(Graphics graphics){
    graphics.drawImage(imagem, 0, 0, null);
  } 
}

Ao executar esta aplicação Java Swing nós teremos o seguinte resultado:




Java ::: Lista de Exercícios Resolvidos (Algorítmos Resolvidos) ::: Métodos, Procedimentos e Funções

Métodos - Exercícios Resolvidos de Java - Ex. 3 - Um método estático que recebe um número inteiro e retorna true se ele for par e false em caso contrário

Quantidade de visualizações: 1427 vezes
Pergunta/Tarefa:

Escreva um método Java que recebe um número inteiro e retorna true se o número for par e false em caso contrário. Este método deverá ter a seguinte assinatura:

public static boolean isPar(int n){
  // sua implementação aqui
}
Este método deverá, obrigatoriamente, estar na classe principal (aquela que contém o método main()). Peça ao usuário para fornecer um número inteiro e use o método desenvolvido para testar se o valor é par ou impar.

Sua saída deverá ser parecida com:



Resposta/Solução:

Veja a resolução comentada deste exercício usando Java console:

package estudos;

import java.util.Scanner;

public class Estudos {
  public static void main(String[] args) {
    Scanner entrada = new Scanner(System.in);
    
    // vamos solicitar que o usuário informe um número inteiro
    System.out.print("Informe um número inteiro: ");
    int numero = Integer.parseInt(entrada.nextLine());

    // vamos verificar se o número informado e par
    if(isPar(numero)){
      System.out.println("O número informado é par");
    }
    else{
      System.out.println("O número informado é ímpar");  
    }
    
    System.out.println("\n");
  }
  
  // um método estático que recebe um número inteiro e retorna true se ele par
  // e false em caso contrário
  public static boolean isPar(int n){
    // o número é par?
    if(n % 2 == 0){
      return true;  
    }
    else{
      return false; // é ímpar  
    }
  }
}



Java ::: Reflection (introspecção) e RTI (Runtime Type Information) ::: Passos Iniciais

Java Reflection - Como exibir os nomes de todas as superclasses de uma determinada classe usando introspecção em Java

Quantidade de visualizações: 6993 vezes
Nesta dica veremos como tirar proveito dos métodos getClass(), getName() e getSuperclass() da classe Class da linguagem Java para exibirmos todas as super classes de um determinada classe, até chegarmos à super classe mais alta na hierarquia, ou seja, a classe Object.

Note como usamos um objeto da classe Stack para criarmos uma estrutura de dados do tipo pilha que nos permite obter os nomes das super classes e depois exibir os mesmos na ordem inversa.

Veja o código completo para o exemplo:

package arquivodecodigos;

import java.util.Stack;
import javax.swing.*;
 
public class Estudos{
  // vamos precisar de uma pilha aqui
  static Stack<String> pilha = new Stack();
    
  public static void main(String args[]){
    // Exibe todas as superclasses de JPanel
    JPanel panel = new JPanel();
    obterSuperclasses(panel);
 
    // agora vamos exibir os resultados na ordem
    // contrária que eles foram obtidos
    int cont = 0;
    while(pilha.size() > 0){
      // insere espaços antes
      String ident = "";
      for(int i = 0; i < cont; i++){
        ident = ident + "   ";   
      }
        
      System.out.println(ident + pilha.pop());
      cont++;
    }
    
    System.exit(0);
  }
 
  static void obterSuperclasses(Object obj){
    // vamos adicionar este valor na pilha
    pilha.push(obj.getClass().getName());
      
    Class cls = obj.getClass();
    Class superclass = cls.getSuperclass();
    while(superclass != null){
      String className = superclass.getName();
      
      // vamos adicionar este valor na pilha
      pilha.push(className);
      
      cls = superclass;
      superclass = cls.getSuperclass();
    }
  }
} 

Ao executarmos este código Java nós teremos o seguinte resultado:

java.lang.Object
   java.awt.Component
      java.awt.Container
         javax.swing.JComponent
            javax.swing.JPanel



JavaScript ::: Dicas & Truques ::: Data e Hora

Como retornar a diferença em dias entre duas datas usando JavaScript

Quantidade de visualizações: 16859 vezes
Nesta dica mostrarei como podemos usar a linguagem JavaScript para calcular a quantidade de dias, ou seja, a diferença de dias entre duas datas. Note que o truque é subtrair um objeto Date de outro objeto Date.

Veja o código JavaScript completo para o exemplo:

<!DOCTYPE html>
<head>
<meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; 
  charset=iso-8859-1" />
<title>Estudos JavaScript</title>
</head>
<body>
  
<script type="text/javascript">
  function diferencaDias(data1, data2){
    var dif =
      Date.UTC(data1.getYear(),data1.getMonth(),data1.getDate(),0,0,0)
      - Date.UTC(data2.getYear(),data2.getMonth(),data2.getDate(),0,0,0);
    return Math.abs((dif / 1000 / 60 / 60 / 24));
  }

  // datas no formato ano/mês/dia
  document.write("A diferença de dias é: " + 
    diferencaDias(new Date(2007, 0, 10), 
    new Date(2007, 0, 20)) + " dias.");
</script>
   
</body>
</html>

Ao executar este código JavaScript nós teremos o seguinte resultado:

A diferença de dias é: 10 dias.


Java ::: Design Patterns (Padrões de Projeto) ::: Singleton Pattern

Padrões de projeto para iniciantes - Como usar o padrão de projeto Singleton em suas aplicações Java

Quantidade de visualizações: 10365 vezes
O padrão de projeto Singleton (ou Singleton Pattern) é um dos padrões de projeto mais conhecidos e implementado extensivamente nas linguagens que suportam programação orientada a objetos, tais como Java e C#. Nesta dica eu mostrarei como implementá-lo.

Uma das situações nas quais usamos o padrão Singleton é quando queremos que somente uma instância de uma determinada classe seja criada e que esta esteja disponível para todas as demais classes do sistema. Um exemplo disso é uma classe responsável por registrar logs do sistema, uma classe responsável por obter conexões com o banco de dados, ou ainda uma classe que concentra dados de configuração da aplicação.

Assim, a chave do padrão Singleton é um método estático, geralmente chamado de getInstance(), que retorna uma nova instância da classe se esta ainda não foi instanciada. Se a classe já tiver sido instanciada, o método getInstance() retorna a instância já existente.

Vamos ver um exemplo deste padrão em Java. Observe o código a seguir:

Código para Logger.java:

package estudos;

// Uma classe Singleton responsável por gravar
// logs no sistema
public class Logger {
    // variável estática e privada que guarda a instância
    // atual da classe
    private static Logger instancia = null;

    // Método estático que retorna uma instância já existente, ou
    // cria uma nova instância
    public static Logger getInstance() {
        if (instancia == null) {
            instancia = new Logger();
        }
        return instancia;
    }

    // Construtor privado para evitar que instâncias sejam
    // criadas usando new
    private Logger() {
        // não precisamos fazer nada aqui
    }

    // método usado para registrar logs
    public void registrarLog(String dados) {
        System.out.println("Vou registrar o log: " + dados);
    }
}

Veja agora como podemos chamar o método getInstance(), obter um objeto da classe Logger e "registrar um log":

Código para Main.java:

package estudos;

public class Main {
  public static void main(String[] args) {
    // vamos registrar um novo log usando a classe Singleton
    Logger.getInstance().registrarLog("Novo usuário cadastrado.");
  }
}

Ao executar esta aplicação teremos a seguinte saída:

Vou registrar o log: Novo usuário cadastrado.


Ruby ::: Fundamentos da Linguagem ::: Passos Iniciais

Qual é a diferença entre print e puts em Ruby?

Quantidade de visualizações: 9106 vezes
Tanto a função print quanto a função puts do Ruby nos permite escrever na tela, ou seja, exibir ao usuário o resultado do processamento das operações requisitas. Então, qual a diferença entre elas?

A instrução puts é uma abreviação de "put string" e automaticamente move o cursor para a próxima linha. A instrução print é usada quando queremos escrever e manter o cursor na mesma linha.

Veja um exemplo completo a seguir:

# Este exemplo mostra a diferença entre as funções
# print e puts da linguagem Ruby

# vamos construir uma frase aqui
frase = "Gosto muito de Ruby"

# vamos exibir a frase usando duas chamadas print e
# depois duas chamadas puts
print frase
print frase
puts frase
puts frase

Ao executar este código Ruby nós teremos o seguinte resultado:

Gosto muito de RubyGosto muito de RubyGosto muito de Ruby
Gosto muito de Ruby

Note que as duas primeiras chamadas a print escreveram na mesma linha. Porém, a primeira chamada a puts escreveu na mesma linha anterior, mas já colocou uma quebra de linha após a escrita.

As duas funções, contudo, permitem o uso do caractere de quebra de linha. Veja:

# Este exemplo mostra a diferença entre as funções
# print e puts da linguagem Ruby

# vamos construir uma frase aqui
frase = "Gosto muito de Ruby"

# vamos exibir a frase usando duas chamadas print e
# depois duas chamadas puts
print frase + "\n"
print frase + "\n"
puts frase + "\n\n"
puts frase

Ao executar este novo código nós teremos o seguinte resultado:

Gosto muito de Ruby
Gosto muito de Ruby
Gosto muito de Ruby

Gosto muito de Ruby


Java ::: Fundamentos da Linguagem ::: Tipos de Dados

Como usar o tipo de dados char da linguagem Java

Quantidade de visualizações: 23499 vezes
O tipo de dados char é usado para representar um único caractere. Veja:

public class Estudos{
  public static void main(String args[]){
    char letra1 = 'A';
    char letra2 = 'B';     

    System.out.println("As letras são: "
      + letra1 + " e " + letra2);
    System.exit(0);
  }
}

Observe que um literal string deve estar entre aspas duplas, enquanto que um literal do tipo caractere deve estar entre aspas simples. Desta forma, "H" é uma string e 'H' é um caractere.

O tipo char é integral mas sem sinal. A faixa de uma variável deste tipo vai de 0 à 65536. Os caracteres em Java são codificados em Unicode, que é um codificação de 16 bits capaz de representar uma larga faixa de caracteres internacionais. Se os 9 bits mais significantes de um char forem todos 0, então a codificação será a mesma que o ASCII de 7 bits.

É possível atribuir literais inteiros à uma variável do tipo char. Veja:

public class Estudos{
  public static void main(String args[]){
    char letra = 98;  

    System.out.println("A letra é: "
      + letra);
    System.exit(0);
  }
}

Este código exibirá o caractere 'b'. Veja um exemplo no qual imprimimos todas as letras do alfabeto minúsculo:

public class Estudos{
  public static void main(String args[]){
    for(char i = 97; i <= 122; i++){    
      System.out.print(i + " ");
    } 
    
    System.exit(0);
  }
}

O tipo char pode ser convertido (sem a necessidade de cast) para os seguintes tipos:

char -> int -> long -> float -> double

Não é possível converter um char em um short ou byte. Caso isso seja realmente necessário, temos que fazer uma coerção (cast). Veja:

public class Estudos{
  public static void main(String args[]){
    char letra = 57;
    byte valor = (byte)(letra); 
    
    System.exit(0);
  }
}

É fácil entender porque um char não pode ser convertido implicitamente em um byte. Um char possui 16 bits enquanto um byte possui apenas 8 bits. Mas, um short possui 16 bits. Assim, o que impede a conversão implicita de um char para um short? É simples. Como o tipo short possui sinal (aceita valores negativos) e o tipo char é sem sinal, o resultado é que o tipo short possui um bit a menos (reservado para o sinal) e portanto, não pode acomodar os 16 bits do tipo char.


Java ::: Dicas & Truques ::: Matemática e Estatística

Como verificar se um número é par ou ímpar em Java

Quantidade de visualizações: 38961 vezes
Boa parte das listas de exercícios de Java básico contém um enunciado pedindo para o seu programa ler um número inteiro e informar se o mesmo é par ou ímpar. Esse teste é feito usando-se o operador de módulo (%) da linguagem Java.

Este operador retorna o resultado de uma divisão por inteiros, ou seja, se dividirmos 5 por 2, o resultado da divisão inteira será dois e o resto 1, indicando que o número informado não é par.

Veja o código completo para um exemplo:

package arquivodecodigos;

import java.util.*;

public class Estudos{
  public static void main(String[] args){
    Scanner input = new Scanner(System.in);
    System.out.print("Informe um valor inteiro: ");
    int num = input.nextInt();

    if(num % 2 == 0){
      System.out.print("Você informou um numero par");
    }
    else{
      System.out.print("Você informou um numero impar");
    }
    
    System.exit(0);
  }
}

Ao executarmos este código Java nós teremos o seguinte resultado:

Informe um valor inteiro: 5
Você informou um numero impar


Delphi ::: Dicas & Truques ::: Rotinas de Conversão

Como converter uma string em um valor numérico inteiro em Delphi usando as funções StrToInt(), TryStrToInt() e StrToIntDef()

Quantidade de visualizações: 30523 vezes
Em algumas situações precisamos converter strings em valores numéricos do tipo inteiro. Isso acontece quando recebemos valores de caixas de texto e precisamos usuá-los em cálculos.

Vamos começar com a função StrToInt() da unit SysUtils. Esta função recebe uma string representando um valor inteiro válido e retorna um valor inteiro. Veja o exemplo:

procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject);
var
  valor1, valor2, soma: Integer;
begin
  // vamos receber as strings dos TEdits e converter
  // seus valores para inteiros
  valor1 := StrToInt(Edit1.Text);
  valor2 := StrToInt(Edit2.Text);

  // vamos obter a soma dos dois valores
  soma := valor1 + valor2;

  // vamos exibir o resultado. Note o uso de IntToStr() para
  // converter o valor inteiro em string
  ShowMessage('A soma é: ' + IntToStr(soma));
end;

Note que, se a string sendo convertida possuir um valor inteiro inválido, uma exceção do tipo EConvertError será lançada. Podemos evitar isso usando a função TryStrToInt(). Esta função recebe dois argumentos: a string a ser convertida e a variável do tipo Integer que receberá o valor. O resultado será true se a conversão for feita com sucesso e false em caso contrário. Veja:

procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject);
var
  valor: Integer;
begin
  // vamos tentar converter o valor da caixa de texto
  // em um inteiro
  if TryStrToInt(Edit1.Text, valor) then
    ShowMessage('Conversão efetuada com sucesso.')
  else
    ShowMessage('Erro na conversão');
end;

Há ainda uma terceira possibilidade: usar a função StrToIntDef(). Esta função funciona exatamente da mesma forma que StrToInt(), exceto que agora, se houver um erro de conversão, um valor inteiro padrão será retornado. Veja:

procedure TForm1.Button1Click(Sender: TObject);
var
  valor: Integer;
begin
  // vamos converter o valor da caixa de texto
  // em um inteiro. Se a conversão não puder ser feita
  // o valor 10 será atribuído à varial valor
  valor := StrToIntDef(Edit1.Text, 10);

  // vamos exibir o resultado
  ShowMessage(IntToStr(valor));
end;

Caso você precise trabalhar com inteiros de 64 bits, poderá usar as funções StrToInt64(), StrToInt64Def() e TryStrToInt64().

Para fins de compatibilidade, esta dica foi escrita usando Delphi 2009.

Carregar Publicações Anteriores


Quem Somos

Osmar J. Silva
Programador Freelancer
WhatsApp +55 (062) 98553-6711

Goiânia-GO
Programador Freelancer - Full Stack Developer, Professional Java Developer, PHP, C/C++, Python Programmer, wxWidgets Professional C++ Programmer, Freelance Programmer. Formado em Ciência da Computação pela UNIP (Universidade Paulista Campus Goiânia) e cursando Engenharia Elétrica pela PUC-Goiás. Possuo conhecimentos avançados de Java, Python, JavaScript, C, C++, PHP, C#, VB.NET, Delphi, Android, Perl, e várias tecnologias que envolvem o desenvolvimento web, desktop, front-end e back-end. Atuo há mais de 15 anos como programador freelancer, atendendo clientes no Brasil, Portugal, Argentina e vários outros paises.
Entre em contato comigo para, juntos, vermos em que posso contribuir para resolver ou agilizar o desenvolvimento de seus códigos.
José de Angelis
Programador Freelancer
WhatsApp +55 (062) 98243-1195

Goiânia-GO
Programador Freelancer - Formado em Sistemas de Informação pela Faculdade Delta, Pós graduado em Engenharia de Software (PUC MINAS), Pós graduado Marketing Digital (IGTI) com ênfase em Growth Hacking. Mais de 15 anos de experiência em programação Web. Marketing Digital focado em desempenho, desenvolvimento de estratégia competitiva, analise de concorrência, SEO, webvitals, e Adwords, Métricas de retorno. Especialista Google Certificado desde 2011 Possui domínio nas linguagens PHP, C#, JavaScript, MySQL e frameworks Laravel, jQuery, flutter. Atualmente aluno de mestrado em Ciência da Computação (UFG)
Não basta ter um site. É necessário ter um site que é localizado e converte usuários em clientes. Se sua página não faz isso, Fale comigo e vamos fazer uma analise e conseguir resultados mais satisfatórios..

Linguagens Mais Populares

1º lugar: Java
2º lugar: C#
3º lugar: Delphi
4º lugar: PHP
5º lugar: Python
6º lugar: JavaScript
7º lugar: C
8º lugar: C++
9º lugar: VB.NET
10º lugar: JSP (Java Server Pages)



© 2021 Arquivo de Códigos - Todos os direitos reservados | Versión en Español | Versão em Português